Mulheres do Rock: Joan Jett

31 de maio de 2011

Voltando a série "Mulheres do Rock", hoje vou falar de uma das, ou se não, a maior roqueira de todos os tempos: Joan Jett!
Para quem não tem noção do quanto essa mulher é importante, lembra daquela musica I love Rock N Roll... (que a Britney Spears fez um cover escroto ) pois é, foi na voz dela que essa música se tornou um dos hinos do rock!
Mas vamos a biografia de Jett...
 Seu nome verdadeiro é Joan Marie Larkin, além de ser uma puta cantora, ela também é guitarrista e baixista. Nasceu em 1958 em Wynnewood, um subúrbio de Filadélfia.
Em 2003, ela  foi nomeada pela Rolling Stone a 87ª melhor guitarrista de todos os tempos, e era uma das duas mulheres que havia na lista. Seu hit "I Love Rock 'n Roll", que ficou o 1º lugar da Billboard de 30 de março até 1 de maio de1982.

The Runaways

Joan Jett foi a fundadora do The Runaways juntamente com Cherie Currie (que foi a primeira principal vocalista da banda),a baterista Sandy West. Micki Steele, Jackie Fox, e famosa Lita Ford. Joan Jett era vocalista e guitarrista base da banda.
 Em 2010, foi lançado o filme The Runaways. Filme que conta a história da banda, o papel de Joan foi interpretado por Kristen Stewart (a Bella do Crepúsculo).
Apesar de eu não levar muita fé na interpretação da menina sem sal do Crepúsculo (que me perdoem as fãs!) até que me surpreendi pela atriz ter retratado bem a atitude "polêmica" da roqueira.
Para quem se interessar por Joan ou pela banda, vale MUITO a pena ver o filme, até mesmo quem não gosta devia ver.



Carreira solo

Em 1979, Joan Jett começou a carreira solo. Ela gravou três músicas com os ex-Sex Pistols, Paul Cook e Steve Jones (uma delas era uma versão cover da música "I Love Rock 'n Roll", escrita e gravada originalmente pelos The Arrows). Enquanto trabalhava no projeto em 1979, Joan Jett conheceu o compositor e produtor Kenny Laguna, que ajudou ela a compor as músicas. Eles se tornaram amigos e decidiram trabalhar juntos.

O álbum de Jett foi intitulado com o nome dela e lançado no dia 17 de maio de 1980. O álbum foi rejeitado por 23 gravadoras,então Jett e Laguna lançaram o álbum independente na gravadora deles Blackheart Records. Joan Jett se tornou a 1ª mulher a começar sua própria gravadora.



Joan Jett & the Blackhearts

Com ajuda de Laguna, em 1980, Joan Jett formou o The Blackhearts. Em 1981, Joan Jett re-lançou o álbum Joan Jett com o nome de Bad Reputation pela Boardwalk Records. Depois de um ano de turnês e gravações, a banda lançou o seu 1º álbum chamado I Love Rock 'n Roll que foi sucesso mundial, no mesmo ano eles lançam o single com o mesmo nome do álbum, a música "I Love Rock 'n Roll" é considerada pela Billboard, a 28ª maior música de todos os tempos.

I wanna rock and roll all night FAIL!

23 de maio de 2011









I wanna rock and roll all night...Você está fazendo isso errado.Muito errado...


Rock Ladies no prêmio TOPBLOG

21 de maio de 2011
Gente vim aqui pedir a ajuda de vocês! Inscrevi o blog no Prêmio TOPBLOG, e queria pedir o voto de vocês!
Se vocês gostam de ler o que eu escrevo por aqui, deixa lá seu voto! É bem simples, fácil e rápido, além de estarem contribuindo para o crescimento do blog!
Conto com a ajuda de vocês!
Long Live Rock N´Roll!
!

Hard Rock Café - Há uma história por trás de toda canção

20 de maio de 2011
A consagrada rede americana de restaurantes temáticos lança anúncios muito criativos que contam a história de sucessos de alguns grandes nomes da música internacional.Muito interessante!




ROCK DE BRASÍLIA GANHARÁ UM DOCUMENTÁRIO

19 de maio de 2011

O maior berço do Rock nacional, Brasília, onde nasceram bandas consagradas como a Plebe Rude, Aborto Elétrico, Capital Inicial, Paralamas do Sucesso e claro, o maior nome dentre elas, a Legião Urbana, é o palco de um documentário sobre a cena rock que explodiu por lá nos anos 80.

Intitulado “Rock Brasília – Ninguém Segura Esta Utopia”, o longa é recheado de imagens raras e inéditas, como as do último e fatídico concerto da Legião no estádio Mané Garrincha e outras curiosidades que virão à tona com o filme.

A ideia de filmar a cena roqueira na capital surgiu em 1988 quando o diretor Vladimir, na época professor da UnB, se deparou com a febre do rock´n roll que acometia os jovens da cidade. Enquanto o rock explodia pelos cantos de Brasília, a tensão da ditadura política e de uma época de censura era relatada em letras de músicas de bandas como Legião Urbana e Plebe Rude. Mas nem a ditadura conseguiu podar o crescimento do número de bandas, que na época já somavam mais de 200.

O documentário deverá chegar aos cinemas no segundo semestre de 2011. Agora é esperar para ver.
Abaixo, um trecho com Renato Russo:

Os maiores concertos de rock de todos os tempos

18 de maio de 2011


Metallica em ação noMonsters of Rock, em 1991 em Moscow.


Tudo começou em 15 de agosto de 1965, quando os Beatles atraíram para o Shea Stadium, em Nova York, cerca de 55 mil fãs. Nunca antes um evento musical tinha reunido tanta gente, mas, mais do que o recorde de público, o grande feito dos quatro rapazes de Liverpool foi o de inventar os shows de rock nas arenas esportivas e outros espaços ao ar livre para multidões.


Woodstock
Foto cedida Imprensa Associada
Público no Festival de Woodstock (1969),
um dos mais importantes da história do rock

Os Beatles inauguraram a era dos grandes concertos de rock e também estimularam a criação de poderosos sistemas de amplificação sonoro, já que a aparelhagem que eles usaram no Shea Stadium foi abafada pelos gritos histéricos dos fãs (o que deixou evidente a necessidade de sistemas de amplificação mais potentes para dar conta da nova realidade dos shows de rock).

A possibilidade de celebração coletiva de milhares de jovens ao som de suas músicas preferidas empolgou o público, assim como bandas e produtores, e, no final dos anos 60, iniciou-se uma onda de grandes concertos que não acabou mais. Conheça abaixo os maiores e mais importantes concertos da história do rock.

Woodstock (1969)
Ele foi o mais famoso festival de rock dos anos 60 e é ainda hoje um dos principais símbolos da contracultura hippie. O Festival de Woodstock, cujo lema era “três dias de paz e música”, reuniu cerca de 500 mil pessoas numa fazenda próxima a Nova York (EUA) para assistirem a shows de Jimi Hendrix, Janis Joplin, Grateful Dead, Jefferson Airplane e The Who, entre outros. 


Ilha de Wight Pop Festival (1970)
Entre 26 e 30 de agosto de 1970, cerca de 200 mil pessoas estiveram numa pequena ilha da costa sul da Inglaterra para assistir a atrações como Jimi Hendrix, Jethro Tull, The Doors, The Who, Supertramp, Joan Baez, Miles Davis, Emerson, Lake & Palmer, Sly & The Family Stone e, principalmente, Bob Dylan, que fazia sua volta aos palcos após três anos de ausência. 

Wattstax
WattStax (1972)
A versão da black music de Woodstock aconteceu no Memorial Coliseum, em Los Angeles, em 20 de agosto de 1972. Em um único dia cerca de cem mil pessoas lotaram o estádio para um tributo às 34 pessoas que morreram sete anos antes nos distúrbios raciais de Watts, um bairro quase que exclusivamente negro de Los Angeles. Os principais nomes da gravadora Stax, que junto com a Motown e a Atlantic eram as principais divulgadoras da soul music norte-americana, estavam lá: Isaac Hayes, Rufus Thomas, The Staple Singers, Carla Thomas e Albert King.


Simon and Garfunkel (1981)
Mais para folk do que para rock, a dupla Simon and Garfunkel realizou um concerto no Central Park, em Nova York, que atraiu cerca de meio milhão de pessoas. Umas das principais razões do sucesso desse concerto é a relação especial da dupla com a cidade de Nova York. Nascidos no Queens, eles sempre permaneceram ligados às suas raízes novaiorquinas e suas músicas, que têm também influências latinas e africanas, refletiram sempre isso.


Rock In Rio (1985)
Os números não são confiáveis, mas estima-se que 300 mil pessoas assistiram ao show do Queen no Rock In Rio, em 11 de janeiro de 1985. Outras atrações daquela noite de abertura do festival, que colocou o Brasil na rota das principais turnês do pop-rock mundial, foram Iron Maiden, Whitesnake, Baby Consuelo e Pepeu Gomes, Erasmo Carlos e Ney Matogrosso.

Live Aid
Reprodução
Live Aid (1985)
Com o objetivo de angariar dinheiro para combater a fome na Etiópia, o Live Aid foi um marco na história dos concertos de rock. Realizado em dois palcos principais, em Nova York e Londres, além de alguns shows menores em Tóquio, Sidney e Moscou, os concertos aconteceram em 13 de junho de 1985 – que por conta disso passou a ser considerado o Dia Mundial do Rock – e atraíram cerca de 200 mil pessoas para assistir a dezenas de astros da música pop como Madonna, U2, Queen, Phill Collins e uma reunião dos remanescentes do Led Zeppelin, entre outros.


Anistia Internacional (1988)
Entre setembro e outubro de 1988, Peter Gabriel, Bruce Springsteen, Sting, Youssou N’Dour e Tracy Chapmann lideraram um elenco de artistas e grupos de pop-rock em uma turnê de 20 shows em 15 países  em comemoração aos 40 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Os concertos organizados em prol da organização Anistia Internacional procuraram conscientizar os jovens em São Paulo, Paris, Londres, Budapeste, Buenos Aires, Atenas e Tóquio, entre outras cidades, da luta pelo respeito aos direitos humanos e dos abusos cometidos contra os presos políticos no mundo. 


Roger Waters – The Wall (1990)
A queda do Muro de Berlim motivou Roger Waters, ex-baixista do Pink Floyd, a realizar um megaconcerto inspirado no tema de um dos mais marcantes álbuns lançados por sua ex-banda. “The Wall” aconteceu em Berlim. Além de Waters, que se encarregou de tocar os principais sucessos do Pink Floyd, o concerto, que se assemelhou mais a uma ópera-rock com seus cenários imponentes, reuniu também Scorpions, Cindy Lauper, Van Morrison e Sinéad O’Connor, entre outros convidados, para um público estimado em 300 mil pessoas. 


Live 8 (2005)
Vinte anos após a realização do Live Aid, os mesmos ideais de combate à fome, às doenças e à pobreza no Terceiro Mundo estavam de volta. Em 2 de julho de 2005, dez palcos espalhados pelas principais cidades do mundo reuniram 150 bandas e 1250 músicos. Um último concerto foi realizado em Edimburgo (Escócia) no dia 6 de julho, durante a reunião do G-8, grupo que congrega as oito nações mais ricas do mundo. Transmitido ao vivo para todo o planeta, o Live 8 tornou-se o concerto de rock de maior audiência de todos os tempos, com estimadas 3 bilhões de pessoas assistindo aos shows de U2, Madonna, Paul McCartney, Elton John, Coldplay, The Killers, REM, The Who, The Cure e Pet Shop Boys, entre outros.


The Rolling Stones (2006)
Em 18 de fevereiro de 2006, os Rolling Stones realizaram na praia de Copacabana um show para a maior audiência da história do grupo. Cerca de 1,3 milhão de pessoas assistiram a um dos mais importantes grupo da história do rock tocar por cerca de duas horas os principais sucessos de uma carreira de mais de 40 anos. O show com entrada franca fez parte da “Bigger Band World Tour”, uma das mais rentáveis turnês de todos os tempos.





Bonus Track
Além de todos esses festivais, avle a pena ressaltar o show do Metallica, em Moscow, no Monsters of Rock, que contou com um público entre 700 mil e 1,5 milhão de pessoas!



Mariachis tocando The Wall

17 de maio de 2011
O termo mariachi tem origem incerta e é aplicado em geral aos grupos artísticos e a música originada no estado de Jalisco, no México. Algo assim como a nossa música caipira, música que se espalhou posteriormente pelo país inteiro e se tornou referência da alegria e música mexicana no mundo. Neste vídeo, um grupo chamado Mariachi Cabos, se aventura em outro ritmo. Barulhentos como sempre, fazem uma performance de "The Wall" do Pink Floyd. Muito legal!

As bebidas mais fortes do nosso mundinho chamado terra

15 de maio de 2011
Esse post é de Utilidade Pública. Cuidado com o que vocês bebem galera!

Everclear
Seu teor alcóolico varia entre 75,5% e (acredite!) 95%. Justamente por ser tão forte ficou popular entre os universitários americanos. Sua venda é proibida em alguns estados americanos mas, onde pode ser comercializada, uma garrafa de 750ml sai por pouco mais de U$20.

Everclear

Absinto
Ela tem de 50% a 75% de álcool, a quantidade real varia de acordo com a marca. Proibida em alguns lugares, acreditava-se que o absinto era alucinógeno, o que não é verdade.

 ABSINTO

Vodka
A Vodka vem da Europa (Rússia, Polónia e Ucrânia). Normalmente tem um teor alcoólico entre 35% e 50% do volume.
Vodka nome vem do russo “voda” (Port. água). Também conhecido como “bebida nacional russa”. Sua popularidade deve-se muito à sua utilidade em coqueteis e outras bebidas mistas, como o Bloody Mary, vodka tônica, vodka martini e, mais recentemente, Red Bull.

http://www.papodebebado.com/wp-content/uploads/2008/05/vodka-bebe.jpg

Whiskey
Whiskey não “amadurecem” no frasco, só em barris, de modo que a “idade” de um whisky é o tempo entre a destilação e o engarrafamento. Normalmente tem 40% de álcool (Jack Daniels). Em alguns casos, dependendo do barril e do modo como a destilação é feita, o teor alcoólico pode mudar. No Knob Creek é de 50%, e de reserva é cerca de 62%.

 Whiskey Billboard

Gin
Gin geralmente contém 40% de álcool, mas alguns como Tanqueray são 48,5%. Como outros licores, é misturado em coquetéis com ingredientes como tônica, água doce ou vermute para equilibrar essa secura.

 http://baristamagazine.com/blog/wp-content/uploads/2009/04/house-spirits-distillery-aviation-gin.jpg

Rum
Normalmente, 35% de álcool. É uma bebida destilada feita a partir de cana (suco de cana ou de melaço) por um processo de fermentação e destilação. O destilado, um líquido claro, então geralmente é envelhecido em carvalho e outros barris.
Yo ho ho and a bottle of RUM

http://3.bp.blogspot.com/_1LpJ0-rrHfs/Sq-oOJVZxiI/AAAAAAAAB4g/2rYE3HLHQwQ/s320/OB18509+Yo-ho-ho+and+a+Bottle+of+Rum+sm.jpg

43 maneiras de deixar um metaleiro cabrero

  1. Pergunte se as bandas de Black Metal tentam copiar o Kiss.
  2. Pergunte porque ele se veste de negro.
  3. Pergunte se ele conhece outra boa banda de metal como oEvanescense.
  4. Se estiver escutando metal, diga que parece com uma banda conhecidíssima, não importa qual -por exemplo: Extreme-.
  5. Pergunte se ele já ofereceu a alma ao diabo.
  6. Lembre-o que o Rock começou com Elvis Presley.
  7. Faça o acreditar que você é gay e que quer sua companhia todas as tardes.
  8. Use a frase "cookie monster vocals" e faça como se fosse o mais engraçado e original que tenha escutado.
  9. Se ele estiver escutando metal, diga "... estes caras não têm talento, mas os (insira o nome de qualquer banda famosa aqui como Charlie Brown JrNirvanaLed, etc), eles sim são talentosos!"
  10. Diga que o som do Manowar é muito gay e que só perde no quesito para o Black Sabbath.
  11. Comente que todo metal lhe parece igual.
  12. Pergunte se é vinil que está tocando?
  13. Diga que você adorava o metal dos anos 80 e pergunte o que aconteceu com o PoisonEurope, etc.
  14. Diga que também gosta de música underground, como Stratovarius(pode ser Rhapsody & Sonata Arctica, etc).
  15. Faça questão de dizer que os vídeos do Emperor seriam melhores se eles usassem um grupo coreográfico.
  16. Dê de presente a ele um disco do rei do rock brasileiro, Erasmo Carlos.
  17. Pergunte se Mayhem é a banda do Marylin Manson.
  18. Escreva Jesus te ama com liquido corretor branco no colete de trapos dele.
  19. Entre em um fórum de Power metal com o nick dele e diga que Ray Alder enlouqueceu John Arch.
  20. Substitua os seus discos do Iron Maiden por outros do Prince.
  21. Faça um corte de cabelo pop-punk enquanto ele dorme.
  22. Pronuncie Celtic Frost corretamente.
  23. Recorde-o da homossexualidade de Rob Halford.
  24. Pergunte se Randy Rhoads estava no mesmo vôo de John Denver.
  25. Aumente no "talo" os graves do seu aparelho de som.
  26. Recorde-o que o metal é parcialmente derivado do blues.
  27. Diga que os vocalistas de Power Metal cantam gritando demais.
  28. Faça cara de intelectual e diga que os emos são grandes traidores do movimento.
  29. Comente com ele que você não vê diferença alguma entre gutural e acesso de vômito.
  30. Diga que gosta demais do álbum de estréia do MetallicaBlack Album.
  31. Esclareça que Lemmy nunca moveu sua mão esquerda nos 30 anos que vem tocando o baixo.
  32. Recorde os bons tempos em que Billy Jean foi um grande sucesso.
  33. Diga que também era metaleiro, mas que amadureceu e começou a escutar música mais intelectual como Soda Stereo.
  34. Diga que nunca escutou uma banda Black Metal melhor que System of Down.
  35. Pergunte a quanto tempo não toma banho.
  36. Se ele for cabeludo, pergunte se está pensando em entrar no movimento Rastafari.
  37. Se for cabeludo e os cabelos estiverem bem cuidados, diga que está parecendo uma "mulherzinha";
  38. Diga de forma séria encarando o de frente que: "...cara você precisa crescer e deixar este vício de rock de lado, tá na hora de arrumar mulher".
  39. Lembre-o que o movimento Emocore faz parte do rock.
  40. Diga que o acha muito radical por fazer do metal um estilo de vida.
  41. Convide-o para ir a uma festa, mas não conte antes que vai ser uma "pagodeira".
  42. Tente convencê-lo que qualquer musica sertaneja é mais rica em acordes que o Punk Rock.
  43. Coloque um disco da Joelma para tocar em seu aparelho de som e imite ela dançando.

“Fallen Heroes”: Vídeo Tributo aos que já partiram

14 de maio de 2011
No começo do ano, a Revolver Magazine publicou uma edição em homenagem a diversos músicos que faleceram, como Cliff Burton, The Rev, Paul Gray e calro, Dio. Vale a pena assistir e se emocionar.


Rock é emoção?

13 de maio de 2011

Nessa semana, vem se espalhando pelas redes sociais,uma declaração feita pelo vocalista do Restart, em que o rapaz diz o seguinte:
"A gente escuta BLACK SABBATH, e em seguida, coloca a nossa emoção nas músicas"
Como se isso já não bastasse, ele ainda complementa:
"Para tocar rock, não tem que ser mau. Não é preciso ter pegada forte. Rock é emoção"
Bom, se eles escutam Black Sabbath e colocam a emoção na música, eles REALMENTE estão fazendo isso errado.
Como uma banda que se diz ser influenciada pelo Black Sabbath, pode se intitular repercussora de algo que foi denominado HAPPY ROCK?
Como alguém que ouve uma das bandas de maior renome do Heavy Metal e distorcer isso a ponto de que vire happy rock?
Quanto a segunda declaração, Rock realmente não tem que ser mau...quantas bandas que vocês conhecem que tocam rock e não são “más”?
Rock também não  tem que ter pegada forte...Rock só tem que ser ROCK!
Rock é emoção,mais que isso, é quase um estilo de vida. Qualquer roqueiro que se preze, sabe reconhecer de longe um Rock de qualidade.
Até um criança consegue perceber que o que o Restar e derivados faz não é Rock. Pode até ser nomeado Rock pela mídia, mas fugiu totalmente dos padrões de Rock que existem.





Rock não é só ter uma guitarra, uma bateria, um baixo e alguém atrás de um microfone. Rock é emoção! E emoção não é o que sentimos ao ouvir Restart.
Rock é muito mais do que notas, acordes e voz.
Rock é um sentimento, capaz de unir pessoas no mundo todo, em apenas uma música.
Rock é um show lotado, não de “fãzinhas” desesperadas, mas sim,com crianças, mulheres, marmanjos, e todos com apenas um sentimento: que o Rock de verdade nunca morra.
Tenho medo do futuro, onde esses jovens alienados,vão dizer que Restart era a banda de Rock do momento...
Happy Rock não é ROCK!
O rock de verdade, aquele que é de qualidade, não precisa de mídia, pois as verdadeiras bandas, mesmo que acabem, continuam a ser bandas de qualidade.
E isso nunca mudará.
                                                                          Laura

100 melhores Riffs de Guitarra de todos os tempos

12 de maio de 2011


A revista Total Guitar realizou uma pesquisa com mais de 2.000 eleitores, que elegeram os melhores riffs de guitarra de todos os tempos, veja abaixo o Top 20:

1. Sweet Child O' Mine - Guns N' Roses
2. Smells Like Teen Spirit - Nirvana
3. Whole Lotta Love - Led Zeppelin
4. Smoke On The Water - Deep Purple
5. Enter Sandman - Metallica
6. Layla - Derek & The Dominoes/Eric Clapton
7. Master Of Puppets - Metallica
8. Back In Black - AC/DC
9. Voodoo Child (Slight Return) - Jimi Hendrix
10. Paranoid - Black Sabbath
11. Crazy Train - Ozzy Osbourne
12. All Right Now - Free
13. Plug In Baby - Muse
14. Black Dog - Led Zeppelin
15. Ain't Talkin' 'Bout Love - Van Halen
16. Walk This Way - Aerosmith w Run DMC
17. Sunshine Of Your Love - Cream
18. No-One Knows - Queens Of The Stone Age
19. Paradise City - Guns N' Roses
20. Killing In The Name - Rage Against The Machine

Conforme o editor, Scott Rowley, embora boa parte dos clássicos (Purple, Led, etc) ainda estejam presentes, bandas como Metallica e Guns N'Roses são, hoje em dia, bem mais interessantes para as novas gerações que os ídolos do passado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Theme Base por Erica Pires © 2013 | Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo